1615

Prefeitura Municipal de Cotegipe

Pular para o conteúdo

Visão Geral

Visão Geral

Bandeira Bandeira do Município
Brasão Brasão do Município
  • Aniversário: 30 de junho
  • Fundação: 30 de junho de 1820
  • Padroeiro (a):Santa Cruz
  • Gentílio:Cotegipano
  • Cep: 47900-000
  • População: 13769 (estimativa)
  • Prefeito (a): ()
    -

Cultura

A Cultura do município de Cotegipe tem como órgão gestor a Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer que, em conjunto com outras políticas tem a responsabilidade de desenvolver ações de fomento à cultura local. Para tanto, conta com uma infraestrutura instalada em sede provisória, por não se tratar de um prédio próprio, dispondo de linha telefônica, computadores com acesso à internet. Não disponibiliza página na internet, de modo que ainda se utiliza apenas do correio eletrônico (e-mail) como forma de comunicação mais avançada.

O município possui uma ampla rede de artistas musicais, artesãos e, tradições populares como a Roda de São Gonçalo em Taguá, o Terno da Cigana em Jupaguá, o Reisado, os festejos do Divino e da Santa Cruz, além da arquitetura de algumas casas e instituições públicas que revelam resquícios históricos do seu surgimento.
O calendário municipal possui alguns feriados especiais, como o dia 3 de maio, resguardado por ser o dia da Santa Cruz, padroeira da cidade. Tradicionalmente, realiza-se, na Igreja Católica, missa campal, sempre no período da manhã. Quando possível, a missa conta com a presença do bispo da diocese de Barreiras, à qual Cotegipe pertence. A celebração dura em torno de duas horas e, é precedida pela realização de bingos beneficentes para a Igreja. A respeito da missa de Santa Cruz, é importante destacar que durante os nove dias que antecedem a data de comemoração, portanto a missa oficial, são realizadas novenas especiais com a participação de diversos segmentos da sociedade, representados por pessoas previamente escolhidas pela diretoria da Igreja. Por exemplo: Novena das crianças, indica-se um grupo de crianças que fica responsável por arrecadar donativos em dinheiro e deve prestar contas no dia da novena dedicada às crianças. Assim, tem-se, além da Novena das crianças, a Novena dos casais, Novena dos funcionários públicos, Novena dos agricultores, Novena dos comerciantes, Novena dos estudantes, Novena das viúvas, Novena, dos jovens e Novena dos 23 juízes da missa de Santa Cruz, grupo de pessoas indicadas pela Igreja para presidir o evento.

O dia da missa de Santa Cruz é bastante esperado por todos os cotegipanos, sobretudo pelos que moram em outras cidades, em outros estados. Todos, ou pelo menos uma maioria, se organiza em termos de folga ou férias nesse período e retornam para o aconchego das famílias, dos conterrâneos. Outro feriado especial, mas ainda por ser discutido e, talvez reconsiderado, é o dia 30 de junho, data em que se comemora a emancipação da cidade, que no ano de 2020 completou 95 anos. esporadicamente, ou seja, não de forma regular, a prefeitura realiza festas em praça pública. Para tanto, contrata bandas da região e, ocasionalmente, bandas reconhecidas nacionalmente. Em anos que isso não se realiza, a comemoração ocorre somente no interior das escolas.
O Dia do Evangélico é o feriado municipal adotado mais recentemente, através de uma lei municipal aprovada em 2009. A data escolhida e já em vigor, é o dia 30 de setembro e, sua comemoração fica a cargo das Igrejas Evangélicas, sendo portanto uma festejo não muito abrangente.

Geografia

O município de Cotegipe, está localizado na região oeste do Estado da Bahia, limitando-se com os municípios de Wanderley, Santa Rita de Cássia, Riachão das Neves, Angical e Cristópolis.

Vale ressaltar que o município tem uma extensão territorial de 4.196 Km², constituindo-se, como zona de transição, a vegetação predominantemente é o cerrado. O clima tropical é predominante e, está localizado nas proximidades da Bacia Hidrográfica do Rio Grande. A extensão territorial urbana é pouco significativa com relação ao total geral da extensão territorial. Isso fortalece a constatação de maior concentração rural de habitantes, cuja fonte de renda baseia-se, principalmente, pela agricultura de subsistência e a criação de gado de corte para a comercialização. As pastagens que contornam o território do município comprovam esse dado e sinalizam uma realidade de devastação do bioma natural (Cerrado), para cultivo de pastos e plantios agrícolas de pequeno porte.

A cidade é cortada por um riacho, denominado Riacho Brejo Grande. Embora sem a correnteza, nem qualquer volume de água que faça lembrar os primórdios da cidade, devido a uma série de fatores decorrentes do descontrole ambiental predominante em suas nascentes e na vegetação original das suas margens, hoje, ainda representa um dos atrativos turísticos e espaço de lazer para os jovens que se dispõem a trilhar caminhos ao encontro das cachoeiras na região serrana. Além das cachoeiras do Riacho Brejo Grande, a população busca lazer nas margens do Rio Grande, cujo ponto mais próximo fica a 28 km da sede, no distrito de Jupaguá e o mais distante, a 84 km, no povoado de Tabatinga. Nas margens do rio, ainda se observa grande extensão de vegetação nativa não explorada.

População

Conforme dados do IBGE/2010, o município de Cotegipe possui um quantitativo de 13.636 habitantes, com predominância de pessoas na faixa etária de 20 a 29 anos, chegando a um total de 2.398 em 2010. A população estimada pelo próprio IBGE em 2020 é de 13769 habitantes.

Clima

O clima predominante é o, com vegetação típica de Cerrado. O município destaca-se pelo clima quente. Tem estação chuvosa durante o período dos meses de novembro a março e o restante dos meses em estação seca.

História

O município de Cotegipe, localizado na região oeste do estado da Bahia, caracteriza-se, predominantemente, por ser uma cidade pacata, visto que o seu quantitativo de habitantes se concentra, em maior número na região ribeirinha que constitui uma parte significativa da sua extensão rural.
Limita-se com Santa Rita de Cássia, Angical, Cristopólis, Wanderley e Riachão das Neves, estando situado a 819 km da Capital do Estado, Salvador. Sua área, atualmente, é de 4.196km² de solo fértil, propício á agricultura e à pecuária, sendo esta última a atividade econômica que lhe dá destaque na região, tendo em vista o intenso comércio de gado de corte.

Aspectos históricos:

O povoamento de Cotegipe iniciou-se com a chegada de portugueses, italianos e nacionais vindos da capitania de Pernambuco. Sob a orientação do Conde da Ponte, foi se dando a colonização, em meados do século XIX. Assim, o território habitado, primitivamente por índios Acroás, passou a constituir-se por criadores de gado que se estabeleceram na margem do Rio São Francisco, os quais, em razão de uma enchente deslocaram-se para o Alto do Umbuzeiro, local onde construíram a Igreja de Nossa Senhora do Campo Largo e desenvolveram um povoado.

Nesse contexto, no ano de 1820, criou-se o município, hoje Cotegipe, mas, na época, chamado de Campo Largo.

Em 1911, Campo Largo abrange os distritos Avaí do Brejo Grande e Cariparé.

Em 1925, o município de Campo Largo tem o seu topônimo alterado para Barão de Cotegipe, em homenagem ao Senador João Mauricio Wanderley, filho ilustre da Vila da Barra.

Em 1931, o município foi extinto e anexado a Angical mediante o decreto estadual nº 7455 de 23 de junho do mesmo ano.

Em 1933, há a restauração do município que passa a ser denominado de Cotegipe, com sede em Jupaguá, pelo decreto nº 8452 de 31 de maio de 1933.

Em 1936, o município abrange os distritos de Campo Largo, Cariparé, Jupaguá, Riachão das Neves e São José.

Em 1943, há alteração nos nomes. São José passa a se chamar Nupeba e Campo Largo, Taguá. Dessa forma, em 1950, conta com os distritos de Cariparé, Jupaguá, Nupeba, Riachão das Neves e Taguá.

Em 1953, é criado Vanderley, distrito de Cotegipe.

Em 1962, Riachão das Neves conquista sua independência e Cariparé, São José do Rio Grande passa a ser distrito do novo município, de modo que no ano de 1963, Cotegipe agrega os distritos de Jupaguá, Taguá e Wanderley, ocorrendo a emancipação deste último em 1985.

Em 1988, o município de Cotegipe conta com os distritos de Jupaguá e Taguá, não havendo nenhuma alteração até a presente data.

Nesse contexto, a partir das informações até aqui elencadas, cuja fonte é a Biblioteca do IBGE do ano de 2007, entende-se que a alteração ocorrida no município, em relação à divisão territorial das partes que o compõe e, mesmo a mudança de nome, seguida de extinção do município e sua recuperação desta condição última, imprime o sentimento de múltiplas identidades que se constituem num processo sócio-histórico-cultural e político, conferindo a todos a expressão de agentes e, conseqüentemente, de responsáveis pela construção da
história.

Turismo

Cotegipe é privilegiada pela natureza, o município é banhado pelo Rio Grande e Rio Preto com belas praias artificiais, grutas e cavernas interconectadas com cachoeiras no boqueirão da Gameleira, trilhas naturais e nascentes, além do grande historia da origem do município, conheça Cotegipe.

Letra do Hino

Salve, salve Cotegipe
Terra fértil, produtiva.
Bela filha do sertão
Que a todos prende e cativa.
Povo cotegipano
Altivo, forte e leal.
Cantemos os encantos
Da nossa terra natal.

Teus verdejantes pomares
tuas áreas prazenteiras
são qual outro paraíso,
nestas terras brasileiras.
Honremos nosso patrono
João Maurício Wanderley
trabalhando e progredindo
dentro da ordem e da lei.
Do Barão de Cotegipe
veneremos a memória
cultivando nosso espírito
confiantes na vitória.
Educados, instruídos
saberemos defender
das injustas investidas
dos que nos tentam abater.
Frequentemos as escolas,
recebamos instruções
igual nosso patrono
serviremos a nação.

Educados, instruídos
saberemos defender
das injustas investidas
dos que nos tentam abater.
Frequentemos as escolas,
recebamos instruções
Igual nosso patrono
serviremos a nação.
Educados, instruídos
saberemos defender
das injustas investidas
dos que nos tentam abater.
Frequentemos as escolas,
recebamos instruções
igual nosso patrono
serviremos a nação.

Áudio do Hino